quinta-feira, dezembro 18, 2008

O VELHO PREGADOR

Do alto de um tronco caído, esbravejava o velho. Usava uma coroa de alumínio e vestia-se com a sujeira de sua própria existência. Em seus olhos insanos fervilhava uma fúria ígnea. De sua boca uma profusão verborrágica de aforismos e revoltas. Clamores pelo levante; pela luta. Pelo retorno das milícias armadas conspirando contra os tiranos senhores da nossa era. Protestos pela tomada do poder pelos insanos - os únicos com capacidade de arrancar do caos e da anarquia uma nova ordem.
Clamores por uma era sem farsas, no que havia se tornado o grande teatro do poder. Pregava a morte pela fogueira daquela que antes se chamava Justiça, a grande defensora de espada afiada, que resolveu abaixar a calcinha por uns trocados e se tornar a maior das prostitutas, no que ousava chamar de Ditadura das Meretrizes, no país da Bordelândia. Gesticulava como um louco – quiçá um maestro no doce delírio de reger a mais bela das sinfonias – enquanto amaldiçoava cada um dos membros de sua curta platéia de Homens-de-pedra. Rochosos seres cegos surdos e loucos, cuja alma era tão seca e dura quanto seu coração impenetrável. – antes palavras fossem marretas.
Gritava, gesticulava, vociferava em despudorado reclame. Talvez fosse ainda um dos poucos homens de carne e virtude, que via nas palavras mais força do que mero entretenimento. Fosse quem sabe apenas um maltrapilho, açoitado pelo infortúnio de ter a cabeça longe do chão e um coração sem joelhos numa era onde pensar era “desnecessário”. Fosse o que fosse, pregava às pedras de forma inflamada e fabulosa, ainda que estivesse nu.
............................................
Bem, nem preciso dizer que os últimos tempos foram deveras caóticos aqui. Não tenho conseguido postar e mal tive tempo de ler e comentar os blogs amigos, que sabem o quanto os admiro. Agora enfim, as coisas começam a se acalmar. Tudo está justo e em breve estará perfeito.
Resolvi estabelecer as segundas e quinta feiras, como dias oficiais de postagem. Nem que seja uma bobagem qualquer. Vou me obrigar a recriar o hábito de postar.
Portanto amigos, declaro outra vez inaugurada esta casa e agora com pelo menos duas postagens por semana!
Grande abraço!

3 comentários:

marcos pardim disse...

eia, viejo régis... uma arenga ouvida de um velho pregador dá mesmo nisso: no desejo de sair por aí, despejando palavras ao vento, ao véu e ao léo, bobagens que sejam, ainda mais intuindo que de bobagens é o que mais precisamos. bom final de ano e ótimo 2009 pelas teresinas do mundo.

Silvano Neto disse...

isso tem carater totalmente politico e quem saber uma verdadeira amalgama entre ficção e realidade... seria algo contra as novas cabeças coroadas na ultima eleição???
PS. chego em janeiro!

Drikaflor disse...

As palavras tem um poder magnânimo, apavorante e delicioso...saiba que cada palavra sua foi devidamente devorada por mim.....

De sua eterna súdita....

Drikaflor (drikacat@hotmail.com)