quarta-feira, maio 03, 2006

Apanhador de Sonhos

Ele era um colecionador.
Colecionava cores, delírios, incertezas, histórias, memórias, sorrisos e uma longa lista de coisas.
Entre seus itens de coleção favoritos, estavam os sonhos.
Catava sonhos de forma compulsiva. Listava e engavetava uns, soltava pela casa outros. Era divertido vê-los pululando pelos corredores.
Há muito tempo perdera a noção da quantidade de itens existentes ali mas a cada momento queria mais...
Os sonhos, que são criaturas totalmente imprevisíveis e portanto muito difíceis de se capturar, requerem um método apurado para a coleta e iscas especiais.
Usava iscas de açúcar pra pegar aqueles sonhos sorridentes; manhãs chuvosas e camas quentinhas para os dengosos; e para os suspirantes, beijos imaginários.
Para aqueles sonhos mais raros, únicos, usava palavras. Enfileirava elas de forma insana, regando com pretensões de poesia. Desconstuía em letras.
Atraia esse devagarinho, com cuidado para não assustá-lo. Enfeitava o caminho com pés de jujuba e sorrisos brilhantes pra que ele definitivamente não quisesse fugir.
Esse em particular não seria catalogado, muito menos engavetado, nem deixado solto pela casa. Não mesmo. Para esse havia pintado uma casinha bem colorida, com música alegre e cadeiras feitas de sonhos-bobos. Tudo bem construído no jardim de sua alma.
O colecionador cuidava bem de suas peças, e até aprendera com o pesadelo de oito patas a tecer um fio delicado, onde acrescentava miçangas colhidas de seus suspiros e longas penas de suas asas, pra fazer um belo filtro de sonhos gigante, e deixar os sonhos feios e sem cor bem longe, para que nunca chegassem perto do sagrado paraíso de seu mundo imaginário.
O apanhador de sonhos andava bem feliz com a última peça encontrada, a que faltava para a sua coleção, e já estava bem guardada em sua alma e vez ou outra brincava de escapulir pelo seu sorriso ou suas histórias

6 comentários:

Marianna disse...

primeiríssima do dia. prima de sorte! :D
amo você, primo.

Claudio Eugenio Luz disse...

Colecionamos sonhos, um a um...Dificil é reve-los, esquecidos em nossos albuns. Bela narrativa.

hábraços

Drika disse...

Quantos apanhadores de sonhos existem no mundo???? Espero que muitos...beijão

Valéria disse...

"Tudo parece fazer sentido na medida em que deixa o sentido se fazer"...
beijo beijo

Valéria disse...

ops é do Arnaldo Antunes

loba disse...

Devorou os meus! E olha que nem era apenas um! rs...
Saudades, viu? Beijoconas