terça-feira, agosto 15, 2006

O HOMEM QUE ESTAVA LÁ

Ele sempre esteve lá. Havia partido alguns anos antes, mas apesar da longa viagem que resolveu fazer, sempre permaneceu ali perto.
De todas aquelas situações em que deveria, estava lá sentado, olhando com aquele meio-sorriso e as fortes rugas de expressão na testa franzida.
Quando a primeira vez, fui correndo contar, com aquele brilho no olhar de adolescente descobrindo o mundo. No primeiro cigarro, mesmo com um certo descontentamento, surgia do meio da fumaça azulada (como poderia reprimir, sende ele mesmo um habitante daquele mundo-que-se esvai?). Aquelas madrugadas insônia, quando as páginas decoravam os olhos, estava lá com aquele olhar severo e suas frases peculiares de "-é inadmissível". Quando a dança das palavras deu resultado e os cabelos viraram farra no chão, deu aquele abraço firme, como um urso gigante. E todas as lágrimas também foram divididas.
Em todas as decisões, das mais banais às revoluções, sempre ouvia e dava sua opinião em nossos diálogos imaginários.
Sempre soube o que dizer, ficando em silêncio.
Tudo poderia ter sido bem diferente. Sempre pode ser, mas o fato de você ter ido patrulhar em outras rodovias não o tornou ausente. Nunca tornará. Sempre vai estar ali com aquela expressão incerta, sorriso apertado e olhos miúdos vermelhos. Gotinhas de suor na testa...
O cheiro de rosas sempre me deixa triste, carrinhos em miniatura me fazem pensar em "rally na barriga" e fardas caqui me lembram sorrisos. Não há um dia em que passe sem visita sua.
Super-heróis Nunca morrem.
[post de dia dos pais em atraso.]

5 comentários:

Claudio Eugenio Luz disse...

Mesmo quando não está mais presente, a sua presença sempre se fará presente.

hábraços

Anucha disse...

ai, doeu aqui. e amei isso de "sempre soube o que dizer, ficando em silêncio". bj no olho, régis. e saudade.

Valéria disse...

eita menino que lindo! tua cara...esse carinho bem carinhado e com gôsto de brincadeira!
os super-heróis nunca morrem mesmo...ainda mais quando são pessoas que sabem sê-lo...em sua grandeza..
beijo e abraço forte e um bocado de saudades

pedro pan disse...

, super-herói é para sempre. e tratando de pais é para sempre e infinito...

|abraços meus|

Rosa disse...

Perfeito, Régis.
Beijos.