sábado, setembro 16, 2006

Reabertura desconstruída

Depois de um retiro obrigatório no casulo imaginário, o adestrador de cores e equilibrista de desconstruções reabre as portas do castelo dos sonhos à todos os visitantes.
Devido à mudanças inadiáveis no mundo real, as timidas letras passaram muito tempo sem ser enfileiradas, mas agora retornam com todo o furor e imprevisibilidade que só as palavras tem.
Aos que tiverem paciência de conhecer Teresa, publicarei a partir de hoje o conto em 4 partes.
Sonhe e lembre como voar.
[à minha boneca boneca que devorou mais quatro estações, todas as estrelas açucaradas. amo.amo...]

Um comentário:

Saramar disse...

Que coisa mais linda!
Cheguei hoje e nao consigo sair daqui.

beijo