sábado, abril 14, 2007

INVASÕES BÁRBARAS


Esperou lá fora até a luz apagar e dois instantes mais. Sorrateiramente chegou à janela e adentrou o quarto tão silencioso quanto um sonho manso. Pé-ante-pé, foi ao guarda-roupas, abriu e encontrou o que procurava: a caixinha de sapatos onde ela guardava seu diário. Compulsivamente começou a apagar todas as páginas borradas de lágrimas-de-sábado. Tudo!
Retirou do bolso um pacote cheio de giz de cera e encheu com desenhos infantis as amareladas páginas e devolveu tudo ao seu lugar.
Saiu pela janela como um garoto travesso, com um sorriso exagerado de satisfação: Queria que ela guardasse na memória só as melhores lembranças.
[Dar boas histórias de presente era um passatempo que lhe fazia sorrir feliz.]

10 comentários:

ecoando cores e tuas histórias disse...

...os nativos da pequena vila encontram-se com suas cadeiras de balanço e seus charutos em uma fumaça de histórias.Mais uma tragada e as histórias de um mágico torto voltam cheias de saudosismo:
-Dizem que ele resolveu aquarelar o desaquarelado e ela decidiu então sonhar
-Nunca vi coisa igual,ele arrancava estrelas do céu pra ela,caso a madrugada um dia acabasse.

...ah,os nativos e suas histórias.
Foi o velho cachimbeiro por aqui passou.

Alê Namastê disse...

Quando li o título do texto, logo recordei um filme que vi com o mesmo nome. O filme tem ligação com outro Declínio do Império Americano.
Bjos*

Pedro Paulo Pan disse...

, pé ponta pé em as histórias de lágrimas passadas...
, abraços meus.

Sayô disse...

Faço isso todas as noites, um retrospecto do meu dia sobre a página escrita do meu livro : MINHA VIDA !
Aquilo de bom eu coloco em NEGRITO pra somar sempre...e o de ruim eu não deleto de imediato, pq sou humana, e tenho q passar por etapas até chegar ao esquecimento, e sentir que o proprio tempo se encarregou de deletar.
O post de hj no artes retrata mais ou menos isso. Devemos nascer com as manhãs...
beijos

anucha disse...

vim tomar um café... e sayô com essa última frase na cabeça. vixe... é a minha cara. vou levar, viu? bj

anucha disse...

retificando... "saio daqui..." é que tava com a sayô no pensamento. porque vim de lá... kkk

disse...

Histórias de presente! Travessura encantada!
Borracha que devia apagar as lágrimas antes de serem cometidas!

niltim disse...

escrever este blog parece te deixar feliz - dar boas histórias de presente!

Então, muito obrigado! rs.

aceitarei sempre!

gabriela disse...

querido, toda a vez que entro aqui tenho uma surpresa. Seu blog e festa para os meus olhos. grande abraco.

Rosa Magalhães disse...

Seria bom se pudéssemos guardar somente as boas lembranças... mas quem é que pode com isso?? Saudade de vir aqui, Régis. Beijo pra tu.