sexta-feira, agosto 31, 2007

CURTAS COTIDIANIDADES

Relutante, tentava não balançar as pernas, brincar com os anéis ou beliscar o queixo - pequenos tiques adquiridos com as voltas do relógio - mantia aquela falsa expressão de comportamento adequado.
Ao lado o mundo gritava na correria louca de transeuntes sem rosto que pareciam amarrados, andando em fila indiana: quanta pressa!!
Retirou do bolso o seu lápis-rouba-sonho, ferramenta que usava para transcrever delírios em letras e desenhos estranhos, e começou a desconstruir. Despoemas, crônicas invertidas ou histórias de final duvidoso. O ofício de enfileirar letras e causar pequenos transtornos como uma forma de fugir daquele mundo corre-corre é para poucos um tique (que assim seja em forma exagerada com crises histéricas).
Repousou calmamente o lápis no bolso quando ouviu seu nome.
Essa costumava ser sua manhã no mundo engravatado dos normalóides: fingir andar reto e certinho, enquanto conspirava secretamente pra deixar o mundo um tanto mais surreal.

12 comentários:

Valeria disse...

quem é de sonhos e descoonstruçoes(que reconstroem) nunca sera um "comum"...
beijo bem grande

marry disse...

nem me falou do texto...
;/

Pedro Pan disse...

, surreais conspirações, reais pirações... em os tiques taques sr regislógio vai seguindo o caminho...
, abraços meus.

Elliott disse...

pessoas cinzas normais....

Camila disse...

Lindo isso aqui; tô visitando o blog pela primeira vez e adorei :}

Beijão,
Camila

MIGUEL BARROSO aka Girassol disse...

belo blog!

Drikaflor disse...

Saudades daqui...bjs

BiaNi LuNa disse...

essas conspirações são as que valem :****!!

drikaflor disse...

Olá, querido...grandes conspirações mesmo..bjs
www.drikaflor.zip.net

Fantine Stellíssima disse...

desconstruções construídas na magia de um poeta.
poeta bom é poeta morto?

Luly disse...

Olá!
Eu li lá na Pasárga que você escreve bem, vim conferir! rs
E achei que é verdade.
:)

Anônimo disse...

Adoro o teu kantinho!!!!


beijus!

Eneida Fernandes