segunda-feira, abril 03, 2006

Curtas, da terra dos sonhos confundida com a outra.

Tamanho foi o susto do Sr. Coelho naquela manhã quando percebeu que seu relógio sem ponteiros havia parado.
Prestes a entrar em pânico lembrou: Seu tempo era reticente.
Se aninhou denovo entre as cobertas com um sorriso bobo e voltou pro mundo das cores, pra sonhar mais um pouquinho.
.........................................
Teresa foi moldada de forma apressada.
Entre passos corridos e horas marcadas, ia nascendo.
Pobrezinha, mal nascera e já tinha uma acentuada crise de identidade: não sabia se era filha da Noite Negra com o Corisco Zangado ou dos espasmos involuntários da mão do garoto inclinado.
Fosse como fosse, esperava sair do mundo amarelo-envelope pra imaginação dos devoradores de letras [que é de onde talvez tivesse vindo].
Em breve ele apresentaria Teresa, escapulindo dos cueiros pra irrealidade.
................................
Lá em cima, estratosféricamente falando: saltando em queda livre.
Aquela sensação de "não ter a mínima idéia", acompanhada do frio na barriga e do gosto das estrelas.
Entendeu??
é. Nem eu.
.............................

9 comentários:

Claudio Eugenio Luz disse...

Três narrativas curtas -com um toque especial de realismo fantastico. Gostei, em especial, da primeira e da terceira.

hábraços

claudio

Valéria disse...

mas eu? eu? eu entendeu!
beijo beijo

S a Y ô disse...

"Escrever nem uma coisa
Nem outra -
A fim de dizer todas -
Ou, pelo menos, nenhumas.
Assim,
Ao poeta faz bem
Desexplicar -
Tanto quanto escurecer acende os vagalumes" MaNoEl De BaRrOs
=)
Um bj em vc

rainhadecopas disse...

como não se derreter por Teresa?

Anucha disse...

entendi tudin! Ó, manda pro anuchamelo@uol.com.br beijo, beijo, beijo!

magina...cê sabe... disse...

je comprend...

eLa disse...

Tem dias que não quero pensar...
Aí venho aqui e me lembro que o refúgio pro "não pensar" não é "não pensar", é SONHAR!
Beijo!
E obrigada por me lembrar dos sonhos... e das reticências...

Marianna disse...

oi primo mais fofo-ingrato-e-totoso do mundo! :D
tô morrendo de saudade de você! pena que eu vou ficar um BOM tempo sem poder ir te visitar, mas ó, você cuida do meu blog/fotolog pra mim? vou deixar nas suas [enormes] mãos tá?
beijo, primo :*
amo você x}

loba disse...

Ai que saudades!!! Tava mesmo precisando desconstruir umas trilhas que a teresa que há em mim teimou em construir! rs...
Como sempre, me encanto, tanto que até canto!
Beijos muitos