quarta-feira, fevereiro 22, 2006

IMPOSSIBILIDADES RECREATIVAS

[Pra você que quer voar fora da asa, pra quem continuo oferecendo um passeio no céu, pra morder as estrelas . ]

"O Guia do Mochileiro das Galáxias diz o seguinte a respeito de voar:
Há toda uma arte, ele diz, ou melhor, um jeitinho para voar. O jeitinho consiste em aprender como se jogar no chão e errar.
Encontre um belo dia, ele sugere, e experimente.
A primeira parte é fácil.
Ela requer apenas a habilidade de se jogar para frente com todo seu peso, e o desprendimento pra não se preocupar com o fato de que vai doer. Ou melhor, vai doer se você deixar de errar o chão.
Muitas pessoas deixam de errar o chão e, se estiverem praticando da forma correta, o mais provável é que vão deixar de errar o chão com muita força.
Claramente é o segundo ponto, que diz respeito a errar, que representa a maior difiuldade.
Um dos maiores problemas é que você precisa errar o chão acidentalmente. Não adianta tentar errar o chão de forma deliberada, porque você não irá conseguir. É preciso que sua atenção seja subitamente desviada por outra coisa quando você está a meio caminho, de forma que você não pense mais a respeito de estar caindo, ou a respeito do chão, ou sobre o quanto tudo isso irá doer, se você deixar de errar.
É reconhecidamente difícil remover sua atenção dessas três cosias durante a fração de segundo que você tem à sua disposição, o que explica por que muitas pessoas fracassam, bem como a eventual desilusão com esse esporte divertido e espetacular.
Contudo, se você tiver a sorte de ficar completamente distraido no momento crucial [...] você irá errar o chão completamente e ficará flutuando a poucos centimetros dele, de forma a parecer ligeiramente tolo.
Esse é o momento para uma sublime e delicada concentração.
Balance e flutue, flutue e balance. Ignore todas as considerações a respeito de seu proprio peso e simplesmente se deixe flutuar mais alto.
Não ouça nada que possam dizer nesse momento, porque dificilmente seria algo de útil.
[...]
Você pode, então, aprender diversas coisas sobre como controlar seu vôo. O truque está sempre em não pensar muito a fundo naquilo que você quer fazer, apenas deixe que aconteça, como se fosse algo perfeitamente natural.
Você também irá aprender como pousar suavemente, coisa com a qual, com quase toda certeza, você irá se atrapalhar - e se atrapalhar feio - em sua primeira tentativa.
[...]


[retirado de "A Vida, o Universo e Tudo mais". Douglas Adams. pág 76-78]


Porque aprender a errar o chão é tão necessário quanto certá-lo em cheio certas vezes.
Porque Voar é sempre uma opção agradável para os que querem algo mais.
Porque eu sou teimoso.
E porque eu continuo acreditando ná mágica das coisas.

o.

8 comentários:

Lilith disse...

Eu tenho saudade do que nunca tive...
Eu acerto o chão em cheio, as vezes com a própria cara... Tem dias que queria dar nele, mas aí eu erro!
Acredito na magia, impreterivelmente.
Enfim...
Há que se viver, não é? Que seja intensamente!

Rosa Magalhães disse...

Aliás, acreditar é o primeiro passo pra quem quer realmente aprender a voar... Bjos.

Valéria disse...

eu também (ainda) acredito na mágica das coisas.... aliás... eu vivo dela.
beijo beijo moço moço

Claudio Eugenio Luz disse...

Aprender a sair e caminhar com os próprios pés e, sem dúvida, um vôo arriscado; porém, necessário para a longa jornada.
.
hábraços
.
claudio

loba disse...

A mágica das coisas é a luz que me guia. Qdo eu deixar de acreditar nela, as asas se quebrarão!
Gosto de gente que voa, mesmo não sabendo voar!
Beijoconas

Dédalo disse...

O grande truque é o desprendimento em relação ao que acontece ao redor. Para que a mágica aconteça deve haver abstração total para com o mundo. Sempre que damos ouvidos ao que o mundo nos diz, perdemos a concentração e acertamos o que é tangível e acaba sendo muuuuito doloroso. Logo não ouça o que o mundo tem pra lhe dizer, simplesmente se atire de cara, erre a realidade e decole rumo ao infinito abstrato que só os sonhadores tem capacidade (e porque não dizer coragem?) para (re)conhecer.
Eis suas asas, Jovem Ícaro, só tome cuidado com o sol... A realidade às vezes derrete sonhos...

Roseane disse...

Depois de um vôo frustrado cheguei até aqui e adorei. Parabéns!

ju disse...

ensaio pra ler o mochileiro da galáxia desde há muito tempo atrás...quem sabe agora.
beijo.