terça-feira, janeiro 31, 2006

Senhor Pés-trocados. [Parte III]

Pés trocados era um trapezista.
Usava cores que tinha guardadas, mas andava nu.
Tinha cores e açúcar de sobra sempre. Guardava tão junto que pareciam vestí-lo. Somou a habilidade de chaveiro [abria as trancas e deixava os sorrisos fugirem livres], a ousadia de pular entre chamas [pois uma ou outra queimadura faziam parte do caminho, e era sempre divertido descobrir o que havia do outro lado], misturou com o que conhecia de truques [parou de fazê-los e descobriu a mágica de verdade. Acreditava Nela....] e finalmente suas infinitas possibilidades de sonhar. Nasceu o Trapezista. Seus pés trocados andavam pela corda, ameaçando sempre virar, mas nunca estivera caminhando melhor. Pés-certinhos não conseguiriam andar ali. Equilibrava cores, delírios, sonhos e risos, todos na ponta do nariz. As mãos gesticulavam, soltando estrelas [componente básico para a mágica]. Tinha dois trunfos que guardava para a grande Noite [que era todo Dia]: um belo par de asas, e sua língua esquiva, que usava para adestrar palavras, de forma que nunca soubessem se elas estavam ou não domadas. Agora, que estava no caminho [in]certo, só uma dúvida lhe corroía....
[fim do início. Para recomeçar denovo do começo]
o.

9 comentários:

BiaNi LuNa disse...

adorei
tah add nos favoritos

;*

loba disse...

o trazpezista já existia. só não tinha ainda experimentado a corda bamba.
este pé-trocados promete muito mais cores e açúcares! eu é que não vou perdê-lo de vista, viu? rs
encantada, como sempre, com a sua maravilhosa habilidade de transformar sonhos em letras.
beijocas

Valéria disse...

eu acho que ele vai virar escritor de sonhos cafeinados...
um beijo

Valéria disse...

eu acho que ele vai virar escritor de sonhos cafeinados...
um beijo

Anucha disse...

oi! vim te ver. ou melhor, te ler. bj

Márcia(clarinha) disse...

Mas é um equilibrista dessa corda chamada vida colorida pelas palavras que saem de sua boca,seus pés apenas servem de base para não deixar fracassar,sempre recomeçar,sempre..
lindo dia de belo conto!
beijosssssssss

Claudio Eugenio Luz disse...

Bela narrativa. Entre o desequilibrio que nos move e a terra que teima em girar ao contrário.
.
hábraços
.
claudio

aline disse...

tb viro onironauta aqui.

beijo!

tonks, again. disse...

Vida.

Me instigou.